Carta à Dilma reivindica maior participação da CT&I como verdadeira política de Estado.

Encaminhada pela Sociedade Brasileira para o Progrsso da Ciência (SBPC), a comunidade científica brasileira enviou à presidente Dilma Rousseff uma carta assinada por 75 sociedades científicas de todas as áreas do conhecimento, expondo as preocupações e reivindicações do setor no sentido de torná-lo uma verdadeira política de Estado, que contribua efetivamente com o desenvolvimento social e econômico do País.

Questões como a insustentabilidade financeira atualmente demonstrada pelo mecanismo dos fundos setoriais para o Fundo Nacional do Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT), a necessidade de direcionar parte do Fundo Social criado com royalties do petróleo também para a CT&I (além da educação), o desvio de recursos do FNDCT para programas como o Ciências sem Fronteiras (CsF), e a manutenão de projetos estruturantes, como os grandes laboratórios nacionais e os Institutos Nacionais de Ciências e Tecnologia (INCTs), são apontados pelos cientistas no documento como questões que preocupam a continuidade e evolução da ciência, tecnologia e inovação no País.

Leia a carta

{pdf}http://portal.anpocs.org/portal/images/stories/Geral/CSBrasil_mundo/destaques/Of%C3%ADcio117_Dilma.pdf|height:1200|width:900{/pdf}