Foi entregue ao Presidente do CNPq, prof. Hernan Chaimovich Guralnik, o documento “Política de Ciência, Tecnologia e Inovação para as áres Ciências  Humanas, Sociais e Sociais Aplicadas”, elaborado pelo Grupo de Trabalho nomeado no final do ano passado pela Presidência do órgão para elaborar uma política de C&TI para a Grande Área.

O GT foi composto por Carmen Rial (coordenadora) – ABA, Eduardo Morettin (relator) – COMPÓS, Fernanda Sobral – ESOCITE-BR; José Gondra – SBHE, José Ricardo Ramalho (em substituição a Gustavo Lins Ribeiro) – ANPOCS, Luciano Mendes (relator) – Membro do Conselho Deliberativo – CNPq, Maria Ângela Cunico – CGCHS/CNPq, Selma Leitão Santos – ANPEPP e Virginia Pontual – ANPUR. 

O documento resulta de esforço conjunto desenvolvido desde o primeiro semestre de 2014 entre a representação da Grande Área de Ciências Humanas, Sociais, Sociais Aplicadas, Letras, Linguística e Artes no Conselho Deliberativo do CNPq, o Fórum das Sociedades Científicas dessa grande área e a área técnica do CNPq, contando, em algumas ocasiões, com a participação dos Comitês de Assessoramento. Para se chegar à redação final, foram elaboradas versões preliminares que foram submetidas à apreciação das sociedades científicas da Grande Área, inclusive numa reunião presencial realizada na sede da SBPC, em São Paulo, em 9 de abril deste ano. 

Segundo Luciano Mendes, representante da área no CD do CNPQ, a elaboração de uma política para as áreas de Ciências Humanas, Sociais e Sociais Aplicadas era uma necessidade sentida pelo Conselho Deliberativo do CNPq e contou com o total apoio da Diretoria Executiva e da área técnica do órgão. Em 24 de junho de 2014, na sede do CNPq, em Brasília, houve uma reunião para discutir a realização do Simpósio Ciências Humanas e Sociais nas Políticas de Ciência, Tecnologia e Inovação Contemporâneas para debater as características, contribuições e necessidades das CHSSA, como parte do esforço de articular uma presença mais orgânica da grande área no campo da C&TI[1]. A nomeação do Grupo de Trabalho foi uma proposta elaborada no âmbito desse Simpósio sobre as ciências humanas e sociais nas políticas de C&TI contemporâneas, realizado na sede do CNPq em 20 de agosto do ano passado, com a presença de dezenas de associações e integrantes de CAs, que também propôs a criação de uma Diretoria específica para a grande área. Ambas as propostas foram aprovadas pela Diretoria Executiva e pelo Conselho Deliberativo, encontrando-se a última em tramitação no MCTI e no Ministério do Planejamento. 

O documento entregue ao Presidente do CNPq, e que será apresentado e debatido na reunião do Conselho Deliberativo do órgão no próximo dia 03 de junho, propõe que a política de C&TI para a Área de Ciências Humanas, Sociais e Sociais Aplicadas esteja estruturada em cinco eixos – Ética na Pesquisa, Formação, Financiamento, Editoração e Internacionalização – sendo esta última considerada um eixo transversal que perpassa todos os demais. Delineia, ainda, um conjunto de temas prioritários para o financiamento da pesquisa na área. A expectativa do Grupo de Trabalho é a de que o documento seja amplamente discutido pelos pesquisadores da área e que, sobretudo, sirva como suporte e baliza para as ações da Diretoria que, de acordo com os encaminhamentos em curso, deverá ser criada em breve no CNPq. 

Estiveram presentes Maria Angela Cunico, Maria Lúcia de Santana Braga e Alisson Alexandre de Araújo (CNPq), os professores Luciano Mendes de Faria Filho (membro do Conselho Deliberativo do CNPq), Carmen Rial (presidente da ABA) e Gustavo Lins Ribeiro (presidente da ANPOCS), pelo Fórum de Ciências Humanas e Sociais.

Leia aqui a íntegra do documento.

Fonte: Pensar e Educação em Pauta.