Postado em 26/07/2019

 

Para o cientista político Leonardo Avritzer (UFMG), democracia brasileira não é um fracasso, porém observa-se rápida regressão. Segundo ele, sempre existiram nas instituições brasileiras "alavancas antidemocráticas", agora em movimento. Cientistas políticos, sociólogos e antropólogos devem, em sua avaliação, estudar estes movimentos para compreender a "linha de inversão" da trilha democrática e os três instrumentos que funcionam como "mecanismos de ruptura democrática" latentes no interior do próprio sistema político brasileiro - o dispositivo do impeachment, a atuação dos militares e do Poder Judiciário. Análise realizada na conferência "A crise da democracia no Brasil", proferida no âmbito da 71ª Reunião Anual da SBPC, em Campo Grande (MS).

Leia mais no Jornal da Ciência.