Em continuidade a iniciativas vinculadas à discussão sobre política de ciência e tecnologia no Brasil, o presidente da ANPOCS,  Gustavo Lins Ribeiro, e a presidente da ABA, Carmen Rial, encontraram-se, na noite do dia 22 de abril, com o Ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marco Antonio Raupp. Na pauta, questões vitais paras as ciências sociais e humanas: novo conselho nacional de ética na pesquisa para a área, a participação das humanidades no programa Ciência Sem Fronteiras,  uma diretoria específica no âmbito do CNPq e a criação de um instituto de ciências sociais no  MCTI.

O Ministro Raupp acolheu fortemente a necessidade de criação de um conselho específico, internamente ao MCTI, para tratar da ética na pesquisa em ciências sociais e humanas. Desta forma, as disciplinas da área deixarão de estar submetidas à Comissão Nacional de Ética em Pesquisa, do Ministério da Saúde, regida por normas que têm prejudicado a pesquisa em ciências sociais e humanas por não se aplicarem perfeitamente às particularidades da área. O Ministro disse que a demanda faz todo sentido e deu “sinal verde” para que as articulações políticas internamente ao campo das ciências sociais e humanas sejam feitas para a elaboração de propostas concretas. Ao mesmo tempo, declarou que faria os contatos necessários com o Ministro da Saúde para adiantar o assunto.

Sobre a ausência das ciências sociais e humanas do programa Ciências Sem Fronteiras, afirmou que ele se direcionava às áreas tecnológicas tendo em vista a grande necessidade de formação avançada nas mesmas, mas que se tratava de uma iniciativa temporária, vigente até 2015. Para o Ministro, se o governo decidir dar continuidade ao programa após essa data, haveria, então, que incluir a todas as disciplinas do campo das ciências no Brasil.

No CNPq as ciências sociais e humanas fazem parte de uma Diretoria de Engenharias, Ciências Exatas, Ciências Humanas e Sociais. A demanda de criação de uma Diretoria específica para a área foi bem aceita pelo Ministro que a considerou uma demanda lógica e assegurou que irá tocar no tema com o Presidente do CNPq. Ao mesmo tempo, conversou-se sobre a necessidade da criação de um Instituto de Ciências Sociais no MCTI nos moldes das unidades de pesquisa já existentes no Ministério, como o CBPF, o IMPA, o IBICT ou o INPE. O Ministro Raupp reconheceu a necessidade estratégica de um instituto como esse e declarou que instituirá um grupo de alto nível no Ministério para pensar e encaminhar o assunto.

A reunião se deu em uma atmosfera cordial e positiva. Convidado pelo presidente da ANPOCS, o ministro Marco Antonio Raupp aceitou participar no próximo encontro da Associação em Águas de Lindoia, entre 22 e 26 de setembro, para debater sobre política de ciência e tecnologia com um foco especial nos temas levantados na reunião e no papel das ciências sociais para o desenvolvimento sustentável e com justiça social do país.