Lançamento: Maio de 68 – A brecha

A primeira característica desta obra é a de ter sido redigida “sob o calor dos acontecimentos”, entre 15 de maio e 10 de junho. Desprendendo-se de qualquer dogmatismo interpretativo, Claude Lefort, Cornelius Castoriadis e Edgar Morin buscam apreender a novidade de Maio partindo das características sociais, políticas, econômicas e culturais da sociedade contemporânea. Não é busca de um consenso interpretativo que os guia. Nesta reunião, a singularidade e autonomia de análise constitui um quadro complexo e multifacetado que fornece ao leitor distintas vias de acesso aos “acontecimentos” de Maio de 68. Mas não apenas.

 A segunda característica desta obra é a retomada e exame, décadas depois, de suas próprias interpretações e daquelas que se projetaram massivamente na França e na Europa. Tarefa que os três autores levam a cabo sem perder de vista o panorama amplo dos anos 1960 (do qual o maio francês é uma das expressões) e do surgimento de novas questões e movimentos sociais, como os dos direitos civis (dos negros nos EUA), do feminismo, da relação entre os sexos, das lutas antimanicomiais, da ecologia, etc.; tomadas de palavra e de ação que não abdicaram da criação de novas formas de vida. Dois tempos de análise, dois exercícios intelectuais ímpares, reunindo autores que assumiram o desafio de pensar o presente com os olhos atentos aos obstáculos e possibilidades de emancipação contidos na breve máxima “mudar a vida”.

O lançamento da publicação acontece no dia 28 de Maio, às 19h, no  Ateliê do Bixiga – Rua Conselheiro Ramalho, 945, Bela Vista, São Paulo (SP).

Para saber mais, acesse o site

Maiode68Abrecha