Política Editorial

Objetivo e política editorial

A Revista Brasileira de Ciências Sociais (Rev. Bras. Ci. Soc.) é uma das principais revistas interdisciplinares no âmbito das ciências sociais no Brasil e responde à missão de veicular a produção acadêmica de ponta nas três grandes áreas que conformam tanto o corpo da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais (ANPOCS) quanto a própria tradição das ciências sociais: Antropologia, Ciência Política e Sociologia. A Revista abrange a diversidade temática caracteristicamente ampla dessas áreas, bem como sua correspondente pluralidade metodológica e de desenvolvimento teórico e conceitual. Ocasionalmente, a Revista acolhe artigos oriundos de outras áreas, quando claramente dedicados a travar interlocução com a produção de conhecimento nas ciências sociais.

A Revista Brasileira de Ciências Sociais publica apenas artigos inéditos ― não publicados em livros, revistas ou periódicos - com contribuições substantivas sobre questões relevantes para as áreas e subáreas, que informam empírica e teoricamente o correspondente artigo. Com o intuito de contribuir à circulação da produção nacional e internacional de conhecimento relevante para as ciências sociais, a Revista veicula regularmente resenhas. As resenhas são solicitadas pela Comissão Editorial, cobrindo livros das três áreas e suas subáreas ou que dialoguem teórica ou metodologicamente com elas. A Revista Brasileira de Ciências Sociais não aceita resenhas que não foram solicitadas pela Comissão Editorial. As características de forma específicas de artigos e resenhas podem ser consultadas na seção das “Normas para a apresentação de colaborações”. A Revista aceita submissão de artigos em português, espanhol e inglês, que serão publicados em sua língua original. A Revista não publica dossiês em seus números regulares, nem acolhe traduções de artigos não inéditos.


Critérios de publicação e avaliação

A publicação dos artigos responde exclusivamente a critérios de mérito. O processo de avaliação é idêntico para todos os artigos ― inclusive aqueles que porventura vierem a ser encomendados pela Comissão Editorial ou previamente disponibilizados no Scielo Preprints ou em outras plataformas de preprint. A lista completa de servidores de preprints aceitos pela RBCS pode ser consultada em http://www.anpocs.com/index.php?option=com_content&view=article&id=2562&Itemid=914 . Após submissão, os artigos são submetidos a parecer de pertinência (desk review) a respeito de sua adequação ao objetivo e política editorial da revista. Em até 30 dias posteriores ao dia da submissão, os(as) autores(as) serão informados(as) sobre o resultado dessa primeira etapa. Artigos aprovados serão submetidos a no mínimo dois pareceres duplo cego. Nos casos de preprint, os(as) pareceristas tomam conhecimento da autoria do manuscrito. Ao submeter um artigo depositado em repositórios de preprints os(as) autores(as) concordam com esse formato de avaliação.

Há quatro resultados possíveis da segunda etapa: aprovado para publicação sem modificações, aprovado para publicação condicionada a modificações, revisar e ressubmeter e recusado. A ressubmissão significa um novo processo de avaliação a partir de pareceres duplo cego. Artigos recusados não poderão ser ressubmetidos. O tempo médio para a segunda etapa é de seis meses.

Artigos que necessitam de revisão devem cumprir o prazo estipulado pela Comissão Editorial para tal. Extinto esse prazo, os artigos serão retirados da pauta. A Comissão Editorial se reserva o direito de sugerir novas modificações de forma ou de caráter pontual quanto ao conteúdo ou à forma, de modo a adequar o artigo ao perfil editorial ou gráfico da Revista.

Todos(as) os(as) autores(as) devem cumprir um interstício mínimo de 24 meses para nova submissão. Esse período é contado a partir da data de publicação do artigo.


Reciprocidade

Entende-se que a submissão de artigos a serem avaliados sob o sistema de parecer duplo cego por pares implica o compromisso do(a) autor(a) de responder da forma mais satisfatoriamente possível às observações dos avaliadores. A Revista aprecia o esforço da comunidade acadêmica de contribuir com seu trabalho para melhorar a qualidade da produção científica das ciências sociais no Brasil, por isso, não submeterá a parecer manuscritos que tenham recebido parecer negativo em outra revista sem que os autores tenham realizado o esforço de responder aos reparos levantados pelos pareceres. O(a) autor(a) deve encaminhar, junto ao artigo revisto, uma carta à editora na qual responderá às recomendações, sugestões e críticas dos(as) pareceristas, indicando as mudanças realizadas e justificando aquelas não incorporadas.

Autores(as) que submetem artigos à Revista assumem o compromisso de emitir pareceres. A Comissão Editorial se reserva o direito de não submeter à segunda etapa de avaliação (duplo parecer cego por pares) artigos cujos(as) autores(as) reiteradamente declinam a emissão de pareceres quando convidados pela Revista.


Resenhas

São publicadas resenhas de obras lançadas dentro de um período de até 24 meses. Todas as resenhas são solicitadas e avaliadas pela própria Comissão Editorial a partir dos critérios de adequação à política e escopo editoriais da Revista e pertinência da resenha para os debates em curso nas três grandes áreas das ciências sociais no Brasil. A Comissão Editorial poderá solicitar parecer específico se assim for julgado conveniente. As resenhas podem ser “aceitas”, “aceitas com modificações” ou “recusadas” - não havendo possibilidade de ressubmissão. Nos casos dos dois últimos resultados, um sucinto parecer será emitido.


Direitos autorais, exclusividade e licença CC-BY

Ao submeter um artigo ou resenha, os(as) autores(as) se comprometem a não enviar o mesmo a outro periódico durante o processo de avaliação. Inversamente, a Revista não acolhe artigos que ainda estejam em avaliação em outros periódicos. A Revista tampouco acolherá duas avaliações simultâneas de um(a) mesmo(a) autor(a), entendendo que configura simultaneidade a submissão de novo artigo enquanto outro ainda não foi publicado ou recusado.

A submissão de qualquer colaboração implica automaticamente a cessão integral dos direitos autorais à ANPOCS, inclusive de tradução, caso o artigo seja aprovado para publicação. Os(as) autores(as), é claro, são autorizados(as) a reproduzir seus artigos, desde que a fonte original (Rev. Bras. Ci. Soc.) seja citada.

A Revista adota licença CC-BY utilizada internacionalmente pelos principais periódicos e publicadores de acesso aberto, em concordância com o SciELO. Tal licença maximiza a disseminação dos artigos. Entende-se que todo(a) autor(a) de artigo publicado na RBCS concorda com o uso desse tipo de licença


Boas práticas científicas

Em sintonia com os avanços no campo da ética e das boas práticas científicas, todos os artigos aprovados na primeira etapa serão submetidos a teste de plágio e “autoplágio” ou republicação (publicação como material inédito de textos já publicados). Eventuais casos de má prática serão examinados e decididos pela Comissão Editorial seguindo as Diretrizes Básicas para a Integridade na Atividade Científica do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico -CNPq (http://www.cnpq.br/web/guest/diretrizes), e o Código de Boas Práticas da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo -FAPESP (http://www.fapesp.br/boaspraticas/).

As opiniões emitidas em artigos assinados e a integridade do conteúdo dos artigos são de absoluta responsabilidade dos(as) seus(suas) autores(as).

A Revista faz parte do SciELO Data, repositório multidisciplinar para depósito, preservação e disseminação de dados de pesquisa, vinculado ao Dataverse (https://data.scielo.org/dataverse/brrbcsoc). Nesse âmbito, estabeleceu uma editoria de “Notas Metodológicas”, que, por meio de convite aos(às) autores(as) de artigos aprovados, busca valorizar, em caráter voluntário, os procedimentos metodológicos da pesquisa empírica, quantitativa ou qualitativa. Parte-se do pressuposto de que a divulgação das etapas da construção e análise das observações e dados contribui para o campo científico em ao menos três aspectos: (1) influencia novas investigações a partir do diálogo direto com ferramentas metodológicas, dados, documentos e fontes de pesquisa; (2) serve como base para ensino e formação de outro(a)s profissionais na área, possibilitando a utilização das práticas metodológicas como exercícios em disciplinas e cursos; (3) amplia a transparência dos trabalhos publicados. Além disso, alarga a visibilidade e potencial de citações dos artigos.